Uma amiga

 
 
 
a vida, por vezes ,nem é sempre como gostavamos que ela fosse
vou falar duma colega de trabalho e amiga, Claire..a vida dela bastante aparecida com a minha , muita vez quando estamos a falar, ha sempre a outra que diz "eu tb".
ja faz 4 meses que nao trabalho e ontem perguntei por ela..ela esta também doente , a saude dela nao é das melhores.
ela têm 2 rapazes com 18 e 22 anos e uma rapariga com 15 anos.
O de 15 anos , gostando muito de informatica, mas com nivel escolar baixo , os pais conseguiram arranjar lhe uma escola em Montpellier..esta la ha 2 anos e esta gostando do curso que anda a tirar.
o de 22 anos , com 3 anos de universida e querendo tirar o master de jurista internacional, encontrou esse curso perto de Nice ; começou em setembro e também esta correndo bem .
o que aconteceu ? os pais tiveram de vender a casa para subvenir as despezas dos 2 filhos , apartamentos , comida , transportes , etc.
Hoje estao a mudar de casa , deixando a casa deles que ainda nao tava paga e vao para uma casa de aluguer.
Claire , sabendo como ela é , alguém  de sensivel gostando e fazendo sempre o maximo pelos filhos …ver a casa vazia com os filhos longe , deixando a casa onde eles foram criados , onde viveu bastante tempo , hoje foi se a baixo..
 
 
A vida , aqui em França , nem sempre é facil quando trabalham os dois , o estado nao ajuda …ajuda mais aqueles que nao trabalham e sao esses que hoje fazem o que anda aqui a acontecer…
 
 
os jovems , que querem , conseguem ..se houver um empurrao dos pais ainda conseguem melhor…meu filho andou 2 anos a dar aulas a  jovems de 13 a 15 anos  , eram desses sitios onde hoje  esta a arder ; essas aulas quaze gratuitas , e poucos vinham , era para os ajudar a fazer os deveres  ; por isso nao podem dizer que nada é feito para eles…
o que me revolta é os jornalistas portugueses a  fazer perguntas a esses jovens ….
 
 
 
 
 
 
 

Sobre Lena

Tenho muitas paixoes, mas a principal é viver
Esta entrada foi publicada em News and politics. ligação permanente.

9 respostas a Uma amiga

  1. ♥§eŋ§ũąℓẀσшąŋ♥ diz:

    Se um dia lhe der uma louca vontade de chorar… Me chama. Não lhe prometo fazer sorrir, Mas posso chorar com você…Se um dia resolver fugir; Não se esqueça de me chamar. Não lhe prometo pedir para ficar, Mas posso fugir com você.Se um dia lhe der uma louca vontade De não falar com ninguém; Me chama assim mesmo. Prometo ficar bem quietinho. Mas… Se um dia você me chamar e eu não responder… Vem correndo ao meu encontro… Talvez eu esteja precisando de você…

  2. Unknown diz:

    Ola Helena,Essa tua colega está a fazer aquilo que quase todos os pais fazem para poderem dar uma vida melhor aos filhos. É claro, que vender a casa e outros bens demonstra bem do que a tua colega é capaz de abdicar, para que os filhos possam fazer os seus cursos, mesmo com o sacrificio do seu proprio bem estar.Sabes, ela um dia vai pensar que valeu a pena esse sacrificio, cumpriu o seu dever de mae, que fez tudo o que estava ao seu alcance e acima de tudo vai estar de consciencia tranquila consigo propria.O estado portugues tambem só ajuda quem pouco faz e nada faz para fazer alguma coisa ou seja dos que gostam de viver à custas dos outros, porque o dinheiro que o estado dá a essas pessoas, é nosso, sai dos nossos impostos, não cai do céu.BeijoFernando

  3. Vera diz:

    Obrigada pela visita e amei ver meu nome no seu blogs de amigos.Bjs

  4. Mara diz:

    oi helena este teu texto sobre a vida da tua amiga demonstra bem,o que eser-se Mâe,que abdica da tudo pelofururo de seus filhos….Deus lhe ha-deajudar a ver o seu sonho realizado,os filhos bem formados…..e sobre o governoPoetugues,tabem nao ajuda quem trabalhamas sim quem nao faz nada,esses sao ajudados em tudo,desde rendimento minimoa ajudas escolares para os filhos,e transportes pagos,por isso digo a voce,que nao e soem França que o governo ha-ge maljulgo ser um mal a nivel mundial…um beijo e um bom fim de semana Mara

  5. Unknown diz:

    Tradução da Musica em Brasileiro: Wake Me Up When September Ends ( Foi o Que se pode Arranjar ) Green DayO verão veio e se foiO inocente nunca sobreviveMe acorde quando setembro acabarComo o meu pai que veio para ir emboraSete anos passaram tão rápidoMe acorde quando setembro acabarAí vem a chuva novamenteCaíndo das estrelasEmbebida na minha dor de novoTornando-se quem nós somosComo as minhas lembranças descansamSem nunca esquecer o que eu perdiMe acorde quando setembro acabarO verão veio e se foiO inocente nunca sobreviveMe acorde quando setembro acabarToque os sinos novamenteComo nós fizemos quando a primavera começouMe acorde quando setembro acabarAí vem a chuva novamenteCaíndo das estrelasEmbebida na minha dor de novoTornando-se quem nós somosComo as minhas lembranças descansamSem nunca esquecer o que eu perdiMe acorde quando setembro acabarO verão veio e se foi, o inocente nunca sobreviveMe acorde quando setembro acabarComo meu pai veio para ir embora, vinte anos passaram tãorápidoMe acorde quando setembro acabarMimos, Marco.

  6. josé diz:

    Os filhos são mesmo para isso, eu para dar ferramentas de trabalho aos meus, tb não foi facil: A filhota estva no ultimo dos 17 anos de estudos para a licenciatura, faleceu-lhe a mãe (minha esposa) o que só veio agravar tudo, comodeves calcular.Não vendi a casa, porque consegui resistir, mas não tinha dúvidas em o fazer se para isso fosse necessário.A vida dos pais é dificil, e as dos jovens sem futuro atirados para a valeta da vida, serão eles os unicos culpados? ambos sabemos que não.Violencia nada desculpa e é condenavel, melhor canalizassem a sua energia para lutar de forma limpa por uma sociedade mais justa.Beijinhos

  7. Fernando diz:

    olá Helena. Não sabia que estavas doente. Espero que não seja nada de grave. Sabia que estavas em casa, mas não pensei que fosse por doença. Trata de ti, sim? Quanto à tua amiga é de facto um exemplo de mãe e merece toda a felicidade do mundo. Eu compreendo a tua revolta pelo que está acontecer em França mas em minha opinião a culpa não é dos rapazes, eles são uns meninos. O problema é mais amplo. O problema da integração dos imigrantes não se resolvem com repressão ou mesmo dinheiro. Há que ir à raís do problema e tentar perceber o que leva a esta situação. Os pais são iletrados na sua maioria e não conseguem ajudar as crianças e por outro lado as crianças são seduzidas pelo dinheiro fácil, ganho no tráfico de droga ou em roubos. E não tendo quem as acompanhe ou lhes dê outra perspectiva de vida ou futuro, ficam desorientadas. Eu li no jornal O Público de hoje um exemplo de uma escola, contado por uma professora desses bairros, onde também vivia, dando conta de casos concretos da sua experiência e que com um novo modelo de ensino, apoio e acompanhamento a escola passou a ter uma taxa de sucesso de mais de 60% quando há 2 anos não passava dos 30%. Tu dizes bem, quando dizes se tiverem o apoio dos pais, eles conseguem. Pois mas esse também é um dos problemas. É que os pais não sabem como ajudar. É dificil de explicar. Mas eu comprendo a revolta, embora não possa concordar com as suas acções, naturalmente. Não queria estar no lugar deles.

  8. Magali diz:

    Olá!!!Vim te desejar um lindo dia e um excelente fim de semana.É preciso saber ouvir o grito da amizade, Ouvir o silencio, Compreender; Enquanto eu estiver presente, Ainda que excessivamente, Falando, brincando,sorrindo.. Perguntando, pegando no pé, Ou reclamando, implicando, Fazendo birra e chorando, Não se preocupe, Eu sou assim,E você estará sabendo de mim, Mas se eu me silenciar, Por favor lembre de mim, E venha me encontrar, É justamente nesse momento, Que mais estarei precisando de você. É o grito silencioso da amizade.Te adoro!!!Beijos no seu coração,Magali

  9. Unknown diz:

    Olá Helena! já estive cá algumas vezes, queria deixar uma palavrinha amiga, mas como quando não me sinto muito bem, elas custam a sair, tem sido um pouco dificil.É que pode parecer mentira, mas como tu, também tenho uma colega e amiga com uma vida tão identica á minha, que até me arrepiei ao ler o que escreveste,e, ao pensar nisso…Só que somos como irmãs, substituimos as nossas mães… se ela está doente ocupo-me dela, se eu estou doente, é ela que me ajuda, ajudamo-nos com os filhos… e acredita que nos nossos casamentos ainda não nos conheciamos, e os vestidos foram iguais.E, ao pensar nos momentos menos bons da minha vida em que contei incondicionalmente com o seu apoio… sabes coisas que nem a nossa mãe faria… Olha Helena, apoia a tua amiga e leva a minha amizade também.Um beijinho muito grandeDia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s