nova geraçao de emigrantes portugueses

 
 
Muitos portugueses chegaram a França nos anos 60, esses encontraram aqui vida dificil, trabalho duro, mas com determinaçao, coragem e vontade, vontade de ameliorar a vida da familia la conseguiram…nunca ouvi meu pai queixar se..ao contrario, estava feliz de estar aqui..
Um portugês é assim..mostra sempre que esta feliz por fora, mas por dentro ha sempre aquela tristeza, aquela saudade de estar longe da sua patria..
 
uma pequena anedota que lhe aconteceu:
quando ele chegou a França, encontrou outro português, chamado Roque, também tinha chegado a pouco..nessa cidade, eram os unicos portugueses..um dia foram as compras, precisavam de azeite, num pequeno livro que os ajudava a traduzir, azeite estava traduzido "huile"..quando chegaram a casa, para comer um bom bacalhau, a provar esse "huile", meu pai disse o amigo.." oh ,Roque, se o azeite aqui for assim,amanha volto para Portugal"..
 
 
 
Tenho lido artigos sobre os portugueses que vem para frança, Alemanha, Inglaterra e outros paises da UE a procura duma vida melhor, onde eles dizem como sao recebidos, onde falam do trabalho precario que aqui encontram, mas condiçoes, pequenos contratos, salarios minimos, etc..
Pois, aqui em França, antes de eles ca chegarem, isso tudo ja existia…muitos jovens e menos jovens estao a viver nessas condiçoes, nao é novo..quando sabemos que 10% da populaçao esta desempregada, como pode haver trabalho para esses se ja nao ha para quem aqui vive ?
Actualmente, é muito raro, começar num trabalho definitivo, começa se sempre com pequenos contratos..
 
Nao sei se existe em Portugal, mas aqui existe agencias para interimos..e funciona muito bém…assim, um patrao se precisar de alguém so 2 o 3 dias, pede a essa agencia para lhe enviar alguém. Também, é muito bom, para os estudantes arranjarem pequenos trabalhos durante as férias..
Muitas pessoas, escolhem de trabalhar dessa maneira, assim sao mestras do tempo delas..nao dependem de ninguém..hoje aqui, amanha acola..
 
 
 
 

Sobre Lena

Tenho muitas paixoes, mas a principal é viver
Esta entrada foi publicada em Non classé. ligação permanente.

6 respostas a nova geraçao de emigrantes portugueses

  1. Unknown diz:

    A emigração em França acompanhou a minha vida , vários familiares meus eram e são emigrantes. Passaram por muito maus momentos. Alguns foram a salto, acho que se diz assim… O meu pai emigrou para a alemanha, com contrato profissional e tudo em 1970. Só aguentou dois meses… Uma bela noite sem ninguém o esperar, bateu-nos á porta, a minha mãe não a queria abrir…dizia o meu marido está na alemanha… ainda ficaram nisto quase meia hora até que eu acordei e disse: é a voz do pai. Foi uma alegria enorme… o meu pai explicou-nos que não há dinheiro que compense estar longe da familia.com os meus sogros foram 25 anos a pensar naquele mes de ferias para matar saudades e trabalhar arduamente o restante tempo para dar uma vida boa aos seus descendentes. Graças a isso sempre tivemos uma vida estavel. Infelismente o meu sogro não gozou o que construiu…Hoje os meus colegas portugueses e espanhois estão emigrando para a Italia…um beijinho

  2. Fernando diz:

    Olá Helena. Aí, como aqui, o problema do desemprego é um drama. Aqui existe muito trabalho precário, trabalho sem condições nenhumas e quese ausência de direitos, salários muito baixos e uma fraca assistência social. Não me parece que os imigrantes retirem trabalho aos nacionais. Aqui em Portugal os imigrantes é que construiram as Grandes obras; as pontes, as autoestradas, os estádios de futebol e fazem os trabalhos que ninguém quer fazer. É preciso é integrá-los plenamente na sociedade, com direitos e deveres (descontando e beneficiando da segurança social, pagando impostos, tendo direito à nacionalidade os que aqui nasceram). Há filhos de imigrantes adolecescentes que nasceram em Portugal e não são reconhecidos como portugueses. Uma brutalidade. Aqui tb existem essas empresas de trabalho temporário. O problema é que está disvirtuado o conceito que devia ser aquele que tu dizes. Estas empresas acabam por realizar trabalhos (permanentes) para grandes Empresas e os trabalhadores desta são arrumadas a um canto. Precisa tudo de ser repensado. Um Beijo para ti.

  3. CAVALHEIRA diz:

    SUPERANDO LIMITESDiferentes são as formas que encontramos para resolver os desafios que surgem em nosso caminho a cada dia…Para uns eles são vistos como uma batalha em que não ser o vencedor representa a diminuição do próprio poder…Para outros, cada conflito é encarado como uma oportunidade de exercitar este mesmo poder…Enfrentar desafios é uma forma natural de fortalecimento.Fugir deles é nunca ter certeza da dimensão de sua própria capacidade de se auto-superar…Quando aceitamos um confronto estamos, na realidade, tendo a oportunidade de descobrir a verdadeira dimensão de nossa força, de nossa habilidade, de nosso conhecimento…É natural que num primeiro momento sintamos vontade de manter as antigas posições, sem a necessidade de nos submetermos a comparações…Mas o prazer que podemos obter com a descoberta de nosso verdadeiro potencial é inigualável…A maior vitória que se pode alcançar não é a que conseguimos sobre nosso antagonista;… mas sim a que obtemos ao superar os nossos próprios limites…AtenciosamenteEsperanza!

  4. Armando diz:

    Olá Helena!Eu ja tive a experiencia de estar aí em frança, devo-te dizer que na altura estive aí durante alguns meses, um pouco afastado do centro Paris, midi-pyrénées em toulouse e Montauban, penso que deves conheçer… Mas falando directamente sobre o assunto devo-te dizer que gostei muito dos Franceses alias desde essa altura eu tenho um carinho especial por esse povo. mas adoro PORTUGAL!!!!!! A minha experiencia digo que eles pagam mal aos emigrantes, tal e qual se faz em Portugal aos emigrantes que para cá vem, pois quem dá trabalho quer na realidade pagar o menos que for possivel, e os trabalhos que grande parte dos Portugueses foram e estam aí a fazer são aqueles que regra geral os Franceses menos gostam posso dar exemplos: limpezas domesticas, industriais, agricultura, recolha de lixo, construção civil, enfim trabalhos em que a formação escolar não é muito importante e que em termos de ordenados também é mal pago, mas isso aqui também se esta a passar pois toda a gente quer " ser Dr." .Mas deixando ainda mais uma dica devo dizer que quando aí estive gostei do Franceses, Algerianos, Espanhois com que trabalhei… mas para tudo ficar manchado e para dizer a verdade detestei tudos os Portugueses com que trabalhei aí, e isto é grave ! E era muitos pois eu estive na apanha de maças, colheita das uvas, das melancias e ainda das ameixas… grande parte dos portugueses tem um defeito grande são egoistas e tem muita inveja uns dos outros com a mesma nacionalidade, falo pelo que eu vi e pelo que senti! Não que isto dizer que não haja excepção mas que foi isso foi!!!!!Muitos comiam pouco e mal para depois vir para cá mostrar a maquina era um realidade eu vi!quero deixar aqui um beijo, e um bom fim de semanaTeixeira

  5. Jairo diz:

    °°°°°°°°°°°°|\ NAVEGUEI °°°°°°°°°°°°|_\ ATÉ AQUÍ°°°°°°°°°°°°|__\ SÓ PRA DESEJAR°°°°°°°°°°°°|___\UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA °°°°°°°°°°°°|____\°°°°°° PRA VOCÊ!!°°°°°°°°°°°°|_____\°°°°°° °°°°°°°°°°°°|______\°°°°°° °°°°°°______|_______________ ~~~~\____________________/~~~~ ,.-~*´¨¯¨`*•~-.¸,.-~*´¨¯¨`*•~-.¸,.-~*´¨¯¨`*•~-.¸,.-~*´¨¯¨`*•~-.¸,.-~*´¨¯¨`*•~-.¸,.-~*´¨¯¨`*•~-.¸,.-~*´¨¯¨`*•~-.¸,.-~*´ `*•~-.¸,.-~*´`*•~-.¸,.-~*´•~-.¸,.-~*´¨¯¨`*• Miga!!A amizade é a única flor quenasce sem a ajuda das estações!!Adoro muito sua visita.Volte sempre. Me deixa super feliz.Beijinhos…(¸.•`* Jairinho.¸.•*¨)

  6. Helena diz:

    ola Teixeira..no teu comentario , dizes muita coisa verdade , so que nao é uma generalidade.Antes de casar, onde vivia com meus pais, no este da França, em Belfort,so conhecia "a solidaridade"..meu pai como foi um dos primeiros a chegar la, ajudou alguns quando tinham problemas, arranjou contratos de trabalho para outros, e também alojamos tios até encontrarem casa..essa mentalidade que descreves egoismo e inveja, so a descobri depois de casar, em Portugal, na aldeia de onde é meu marido…durante uns 20 anos ir até ai passar um mês de férias, era uma tortura pra mim…tb falas que passam mal aqui para ir ai amostrar boas maquinas..ha 3 anos , tivemos aqui familia, que convidamos para uma comunhao, eles pensavam como tu…ficaram admirados em nao ver nada daquilo que descreves..e voltaram para Portugal com outra ideia dos emigrantes d’agora…Muitos portugueses que aqui vivem, vivem bém..nem todos,claro..ha de tudo…tb vém de saber organizar a vida…é um tudo…Quem emigra, é porque nao tém estudos, e sabe se que esses, nao podem esperar um bom emprego…têm de aceitar o que ha..fazer limpezas domesticas nao é degradante, os franceses que empregam portuguesas nesse trabalho , estao muito contente delas..e elas tb o estao..Nos salarios, de certeza, o patrao nunca te pagou a baixo da remuneraçao legal..Agora os filhos desses emigrantes, posso te afirmar, que muitos ja têm boms estudos, empregos diferentes daqueles dos pais..ja ha advogados, médicos, professores, engenheiros, etc…Helena

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s